A Meditação é a base de tudo, faz parte do mim e eu faço parte do Todo e todos somos Um. Assim, para mim, é mais do que natural que eu sinta esta experiência como a minha meditação diária, na medida em que estou constantemente em processo de auto-observação, testemunhando o que se move no meu corpo e o que acontece na minha mente, conforme a vida me vai trazendo diferentes experiências.

Nós somos passageiros nos nossos corpos. Somos uma consciência de passageiro experimentando a vida. Buda usou o termo “ação correta”, que é o que nós manifestamos quando vivemos de acordo com a nossa verdadeira natureza, quando vivemos o nosso Desenho. Quando a mente não está ocupada a decidir o que fazer da nossa vida, toda a atividade desaparece. Isso é meditação. Esta é a forma de harmonizar a nossa energia individual com o fluxo da Totalidade. É o que os antigos referiam como “estar em harmonia com o Tao”. A ação que não deriva de Harmonia é uma ação desesperada porque baseia-se em desejos e expetativas que, muitas vezes, nem nos pertencem.

No meu caso pessoal, aprendi, com o meu processo de descondicionamento de 7 centros em aberto, a amar o meu Não-ser em todas as suas manifestações, pois permite-me assim colocar em prática as chaves do meu Desenho e abrir-me à transformação, aquela que ocorre quando me rendo à inteligência do meu veículo em vez de me perder nas conjeturas da minha mente que tudo quer entender. Isto é Meditação!

Esta é uma viagem simples, intensa e interessante, de entrega, de surpresas, de magia, de consciência, de encontros e de respeito por si e pelos outros. De Amor a si mesmo(a)!

“Human Design...it’s you. To love yourself is to open up love for everyone and everything that is part of your life. It’s no longer rooted in your dependencies, your inferiorities, your inadequacies. All of those things no longer exist. You see, to be correct is to appreciate your own magic, your own beauty. So I continue to remind you: you are unique, no choice, love yourself,”

Ra Uru Hu

 
Top